Auscultação cardíaca em cães
Juan Blancas

Auscultação cardíaca em cães

Identifique os focos de auscultação cardíaca

A auscultação deve ser realizada com o animal ereto (posição normal cardíaca) e em um ambiente silencioso. Sempre evitar uma sala quente para minimizar a possibilidade do paciente ficar ofegante.

 

Deve-se auscultar pulmão e coração separadamente para identificar os seguintes pontos:

  • Ritmo – regular, irregular ou irregularmente regular
  • Presença ou não de sopro
  • Tipo de sopro
  • Grau do sopro (de 1 a 6)

 

 

Do lado esquerdo se apresentam três focos de auscultação: pulmonar, aórtico e mitral e do lado direito um único foco tricúspide localizado entre o 4° e 5° espaço intercostal, próximo à junção costo-condral. O foco pulmonar e aórtico está voltado para a base do coração e o foco mitral voltado para o ápice cardíaco.

 

Ciclo Cardíaco

 

Sons cardíacos

Existem quatro tipos de sons cardíacos que podem ser auscultados:

  • O S1 está associado ao fechamento das válvulas atrioventriculares (mitral e tricúspide)
  • O S2 com o fechamento das válvulas semilunares (aórticas e pulmonares)
  • O S3 ocorre na diástole inicial e é o resultado de ventrículos vibrando na frequência ouvida no momento da interrupção rápida do preenchimento ventricular. Caracterizado por ser um som de baixa frequência
  • O quarto som do coração S4 está na diástole tardia e associado à sístole atrial (contração atrial) 

Obs. Em cães, gatos e furões, S1 e S2 são os únicos sons cardíacos normalmente audíveis.

 

Sopro

Sopros acontecem devido à turbulência do fluxo sanguíneo através do coração e dos vasos. São gerados pela rápida aceleração e desaceleração do sangue e por vibrações secundárias no sistema cardio-hemorrágico.

Existem diferentes tipos de sopro:
Fisiológicos – anemia, hipoproteinemia, febre e corações atletas;
Inocente – Não estão associados à cardiopatas;
Patológicos – Doença cardíaca estrutural (CVCM, doenças congênitas, shunts cardíacos, doença vascular).

Graus de intensidade de sopro:
  • Grau 1 – Dificilmente audível
  • Grau 2 – Intensidade leve – Pode ser ouvido rapidamente. É mais leve que os sons cardíacos S1 e S2
  • Grau 3 – Som baixo a moderado, mesma intensidade que os sons cardíacos  S1 e S2
  • Grau 4 – Som alto, mas sem frêmito (som estrepitoso), mais alto que S1 e S2
  • Grau 5 – Som alto e pode-se perceber o frêmito (som estrepitoso) sobre o tórax
  • Grau 6 –Som muito alto, audível sem estetoscópio
Obs: Nem todos os animais com sopros cardíacos têm doenças cardiovasculares, por exemplo, o fluxo de alta velocidade ou sangue de baixa viscosidade pode causar turbulência. Nem todos os animais com doença cardiovascular apresentam sopro.
 

Solicite avaliação pré-anestésica veterinária! Garanta a chance do seu paciente não ter problemas, e sair do processo anestésico com vida e sem sequelas.

 
 
 
Print
52785 Rate this article:
4.5

Please login or register to post comments.

x
Loading
  • Assine Nosso Blog

    Fique por dentro das novidades. Receba nossas atualizações.