Empreendedorismo Veterinário
Juan Blancas
/ Categorias: Ferox

Empreendedorismo Veterinário

Sem tempo, paciência e sem dinheiro?

Uma apreensão empresarial é aquele momento de paixão constante que alguém experimenta enquanto trabalha para outra pessoa. O pensamento comum é que podem gerenciar um negócio e se tornar um empreendedor, mas acabam cometendo o erro de pensar que empreenderam um negócio, quando na realidade criaram um trabalho para si mesmo, sem a visão de empreendimento. 

 

"O Mito Empreendedor, diz que a maioria das empresas não conseguem atingir seu potencial porque a maioria das pessoas que começam seu próprio negócio não são empresários, elas são o que eu chamo de técnico que sofre de uma apreensão empresarial”, explica Michael E. Gerber* no prefacio do E-Myth veterinarian.

 

Em outras palavras, o veterinário inicia o projeto conhecendo bem sobre seus serviços e produtos, faltando a expertise de negócios.

 

Sem tempo, paciência e sem dinheiro

 

A maioria das vezes o veterinário trabalha duro, mas não de um jeito eficaz por causa do que Michael E. Gerber* descreve como a "tirania da rotina". O trabalho maçante e repetitivo arrasa seu espírito empreendedor e o resultado: o veterinário acaba ficando sem tempo, paciência e sem dinheiro, consequentemente.

 

Ter talento para transformar simples ideias em negócios efetivos, assim como saber identificar oportunidades que garantem o crescimento do seu negócio, são atributos muito importantes para se destacar no mundo do empreendimento. Atualmente existem soluções de resposta ágil em laudos radiológicos ou tecnologias de consultoria veterinária que aproximam os especialistas com os clínicos veterinários para auxilia-os em diversos casos clínicos (acompanhamento oncológico, acompanhamento cardiológico, etc.), e que além aumentar as vantagens competitivas das clínica melhoram a prática veterinária.

 

Você é empresário, gerente ou técnico?

 

Considere as três personalidades-chaves no mundo da prática veterinária: o Empreendedor, o Gerente e o Técnico. Cada uma delas é crucial para uma prática de sucesso.

 

O Empreendedor imagina claramente o futuro próximo, com ideias inovadoras que muitas vezes acabam confundindo seus colegas pela repercussão na tomada de decisões e sem compreender os motivos de trás delas.

 

O Gerente se esforça para manter organizado, após as decisões caóticas do Empreendedor fundamentadas em mudança para melhoria. O gerente é um burocrata, criando regras, procedimentos e protocolos para cercar a criatividade do Empreendedor, e em consequência que o trabalho possa ser feito de maneira efetiva e previsível.

 

Enquanto o Técnico, como especialista em seu campo, sabe como fazer o trabalho perfeitamente.

 

A maioria de dos veterinários percorre os três desses estilos continuamente. Às vezes, usam os três chapéus ao mesmo tempo, confundindo e frustrando os colegas, funcionários e até os seres queridos com os aparentes conflitos de uma personalidade dividida.

 

Para ter êxito na prática veterinária, é necessário que saiba identificar e distribuir seu tempo entre ser Empreendedor, Gerente e Técnico.

 

Fazendo a prática trabalhar para você

 

Ao invés do pensamento tático que se concentra na rotina de cuidar do próximo compromisso, o E-Myth gira em torno do pensamento sistêmico, que se concentra no negócio como um todo, onde ele está atualmente, o objetivo final e como chegar até ele.

 

A chave é criar um negócio que funcione para o proprietário e não por causa do proprietário. "O equilíbrio do negócio é o valor financeiro colocado em sua prática veterinária desde a perspectiva do comprador ", explica Gerber. "Assim, sua prática é o seu produto mais importante, e não os seus serviços".

 

O erro mais comum é entrar na prática pensando como um veterinário e não como um empreendedor. Na faculdade não ensinam muito sobre empreendedorismo, gerenciamento de clientes ou tecnologias disponíveis para transformar a maneira de como se relacionam com os clientes.

 

Uma prática centrada no cliente (tutor) fornece de forma consistente um excelente serviço e uma ótima experiência desde do início até fim do atendimento, abordando tanto as necessidades dele quanto do paciente.


Um alerta é que uma prática veterinária focada apenas no social não gera na maioria das vezes resultado financeiro, é possível manter equilíbrio e colher fruto desse relacionamento com cliente.

 

* Michael E. Gerber é um empreendedor com mais de quatro décadas de experiência. Ele desenvolveu a filosofia do E-Myth (Mito empreendedor).

 

Referência:

 

http://www.beefmagazine.com/beef-vet/myths-veterinarian-entrepreneurship
https://revistanegociospet.com.br/mkt-veterinario/mkt-veterinario-o-empreendedorismo-na-rotina-veterinaria/
https://www.veterinarypracticenews.com/dispelling-myths-entrepreneurship-practice-ownership/

Print
7221 Rate this article:
5.0

Please login or register to post comments.

x
Loading
  • Assine Nosso Blog

    Fique por dentro das novidades. Receba nossas atualizações.